Comunidade internacional da Disney cria petição para que MC Gui seja proibido de retornar aos parques temáticos

O caso envolvendo MC Gui e uma criança que estava aproveitando as atrações dos parques da Disney agora é oficialmente notícia internacional.

Um site relacionado somente a matérias e editoriais com o tema Disney, ficou sabendo do vídeo onde o intérprete de “Sonhar” filma uma menor de idade e ao mesmo tempo ri da situação da menina, ao fundo é possível ouvir que um dos amigos de Gui diz, “parece um filme de terror”. Visivelmente desconfortável, a menina que usava uma peruca, supostamente devido ao tratamento de uma espécie de câncer, comoveu milhares de internautas brasileiros que por sua vez, não perdoaram a atitude do MC.

    Com tanta repercussão negativa em cima do caso, a comunidade criou uma petição que pretende ser entregue a Disney e as autoridades legais na intenção de proibir o retorno de forma vitalicia do MC aos parques temáticos da marca, em Orlando, Estados Unidos. Na petição, o site classificou o caso como “absolutamente nojento e inaceitável”

    O assédio moral em 2019 é absolutamente inaceitável em nossa sociedade, principalmente em um local com o slogan de “lugar mais mágico da terra. O vídeo postado por uma celebridade muito famosa no Brasil, chamado MC Gui que atende também por Guilherme Kaue, mostra ele gravando de seu celular, durante sua viagem de monotrilho, zombando descaradamente de uma criança, por causa de seus atributos físicos, ele ri e insulta a criança de uma distância que os pais dela acabaram não notando.
    Como pais de crianças, ficamos completamente enjoados com o comportamento deste rapaz que tem 21 anos. Nenhuma família deveria viver com medo e ser intimidada, ridicularizada, gravada e compartilhada com milhões de outras pessoas.

    A petição que precisa de 25 mil inscrições para ser entregue aos responsáveis pela regulamentação de entradas ao parque já ultrapassa as 18 mil assinaturas.

    Você pode conferir a petição clicando aqui

    Vale lembrar ainda que além das rescisões de contrato que o MC já obteve, devido ao episódio, Gui ainda pode ter que responder civilmente ao ECA (Instituto da Criança e Adolescente) no Brasil e ainda possíveis explicações a justiça americana.