COMPLEXO DO VIRA-LATA! Um mal histórico ressurge com o crescimento de Anitta

O apontamento de Anitta numa escala global da música, fez ressurgir em muitos brasileiros o ‘complexo do vira-lata’, complexo este que trás várias perspectivas históricas do nosso povo, pois, não é de hoje que surge essa necessidade de mutilar culturalmente e socialmente as pessoas da própria nação e, talvez, Anitta não seja a última.

“É muito mais fácil aceitar uma derrota antes de que lutar pela vitória”, basicamente essa é a ideia que ainda muitos brasileiros carregam em suas raízes. A inferiorização da própria capacidade tem ligações mais escuras, que infelizmente remontam até o racismo.

A crítica de hoje não é sobre tentar ser revolucionário ou até mesmo ‘mimizento’, na verdade o intuito das ideias colocadas aqui são para que nos fortifiquemos como povo brasileiro, pois, acredito ‘eu’ que uma nação que conhece e reconhece sua própria história, tem entendimento suficiente para moldar o seu futuro.

“Por complexo de vira-lata entendo eu a inferioridade em que o brasileiro se coloca voluntariamente em face do resto do mundo. O brasileiro é um nasciso às avessas, que cospe na própria imagem.”, dizia Nelson Rodrigues que criou o termo na década de cinquenta.

O termo iniciou-se com uma das perdas esportivas mais marcantes do país, a derrota na Copa de 1950 para o Uruguai, com a inauguração do Maracanã, trazendo aos brasileiros o sentimento de desolação.

Após derrota de 2 x 1 para o Uruguai, a expressão “Maracanasso” começou ser usada

Apesar do termo “complexo de vira-lata” ser estabelecido só na década de cinquenta, esse sentimento anti-patriota começa surgir já na época da escravidão, onde as elites brasileiras, em sua maioria acreditavam na teoria da ‘inferioridade de raças’ e numa supremacia baseada nos moldes europeus.

Porém, Brasil é Brasil, não é europa. Como que um país em que sua maioria é constituída por pessoas negras e miscigenadas, ouve de intelectos ou dos grandes senhores – que também são brasileiros -, que a maioria do seu país vem de uma etnia inferior? Infelizmente esse sentimento foi instalado na cabeça de muitos, sendo um dos critérios para formação desse complexo.

O BRASIL UNIDO! Internautas, celebridades e portais do Brasil inteiro se unem para Anitta atingir o topo do Spotify Global

A política brasileira tem uma grande parcela de culpa também, já que com tantos casos de corrupções são engavetados, trazendo a uma parte da população mais vulnerável o sentimento de quê nada pode melhorar e, consecutivamente, isso é replicado entre as pessoas do mesmo povo.

“O povo é o povo e suas circunstâncias”, dizia o filósofo Ortega y Gasset, que defende a ideia de quê as situações colaboram muito com a formação de uma sociedade, por isso da importância de entendermos nossa própria história.

Anitta entra nesse contexto com a visibilidade internacional que vem conquistando, onde boa parte dos brasileiros tentam sem escrúpulo algum descredibilizar suas conquistas.

Por mais que o mercado fonográfico brasileiro anda tendo grandes investimentos e credibilidade por parte do mundo, chegar no topo é uma tarefa que não envolve apenas um mercado, envolve sucesso em vários mercados e, sem muito entender, é totalmente sabido que cada mercado tem seu perfil.

Rompendo as bolhas, sendo a mais aclamada hoje no Brasil, é também a nossa referência no mercado latino (que é totalmente diferente do mercado brasileiro) e, hoje, também estourando aos poucos a bolha do mercado norte-americano e europeu.

Não é sobre ter sorte, viu? Anitta sempre mostrou uma autonomia muito gigante em sua carreira, buscando conhecer os mercados e seus ambientes, para que assim soubesse a melhor forma de como entrar pela porta da frente. Em outras palavras isso se chama empreendedorismo.

BRASIL, MÉXICO, MUNDO! Anitta decola com “Envolver” e emplaca sucesso nas maiores listas do Spotify

Não é atoa que além de cantora, Anitta é empresária, fazendo parte do conselho adminsitrativo da Nubank, onde trouxe retornos que mudaram totalmente o rumo da empresa, é também a cabeça criativa da Skol Beats onde especula-se que a cantora detém de 15% dos lucros da empresa.

Anitta em entrevista sobre empreendedorismo para Harvard

Essa relevância empresarial são frutos dela ter que comandar a própria carreira como artista para que se sentisse mais segura dos seus próprios passos, ainda mais num mercado comandado por homens.

Levando o nome do Brasil à fora, fica difícil realmente agradar à todos e, ainda assim, ela se mantém firme em ter orgulho da própria origem, ainda que muitos brasileiros tentam resumi-lá a uma bunda. Anitta é exemplo de patriotismo e perseverança!

Aos poucos e de mansinho, Anitta vem desmistificando a ideia de que nós brasileiros não somos capazes ou não merecemos, muito pelo contrário, de que nós brasileiros, assim como ela, não foge da luta.
Anitta, sem “querer querendo”, como dizia o Chávez, na sua própria existência vem trazendo debates que nos fazem refletir e melhorar como sociedade.

Hoje, sabendo um pouco mais da sua história e imaginando as dificuldades em que passou sendo uma pessoa pobre, miscigenada e mulher, posso dizer que tenho muito orgulho de ver você como uma brasileira que rompe todos os muros e, em troca, ao invés de revidar, trazer mais orgulho pro seu país.

E, pra finalizar, dizer que sua história vai repercutir por gerações, pois esse caminho quem ajudou abrir novamente foi você, Anitta.

>>> Curta o PFBR no Facebook

>>> Agora no @oficialpfbr

Carregar mais tweets