Com estreia de novo álbum, Ed Sheeran faz história nos charts do Reino Unido

Estrondoso.

Que Ed Sheeran faria um grande debute com seu novo trabalho todos já sabiam, mas o sucesso do ÷ ultrapassou barreiras nunca imaginadas até pelo mais otimista fã do ruivo. O trabalho teve simplesmente a maior estreia masculina da história do Reino Unido. Foram 672 mil cópias equivalentes acumuladas, garantindo ao mesmo um fácil #1 na Official Charts.

O britânico ainda pode comemorar o terceiro maior debute de seu país natal, atrás apenas do “25” (2015) de Adele, com 800 mil cópias, e “Be Here Now” (1997) da banda Oasis, acumulando 696 mil cópias. Para termos ideia do sucesso, o “÷” vendeu mais que a soma dos outros 499 álbuns mais comercializados da semana no Reino Unido.

O trabalho também já estreia com uma platina dupla no país. Diferente do que muitos pensam, a maioria das cópias vendidas foram cópias físicas (62%), depois vieram os downloads (26%) e os streams (12%). Foram 79 mil cópias equivalentes somente contabilizando as plataformas de streaming, um recorde para o Reino Unido.

E não é só isso.

Além de conquistar o posto de terceira maior estreia de um álbum no Reino Unido, o “÷” se tornou o disco mais bem-sucedido de toda a história da parada britânica de singles. Todas as 16 faixas do disco ocupam o top 20 da atualização da Official Charts desta semana. Com o novo trabalho, o ruivo ainda quebrou o recorde de álbum com mais entradas no top 10 da parada, com dez no total, superando o “18 Months” de Calvin Harris, que havia feito nove entradas.

Apesar de nove faixas estarem figurando entre as dez primeiras posições, “How Do You Feel (Peaen)” já havia figurado numa alta posição anteriormente, já que foi divulgada como single promocional. “Shape of You” continua liderando o chart pela nona semana consecutiva. Além disso, Ed faz história e preenche todo o top 5, com destaque para “Galway Girl”, que não é single, figurando na vice-liderança. “Castle on the Hill”, “Perfect” e “New Man” completam o top 5 totalmente ruivo.

 

>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<