Cinco anos de "21": O álbum de Adele que revolucionou a indústria fonográfica

A exatamente cinco anos, “21”, o segundo álbum de estúdio de Adele, era lançado nos EUA.

Print

A jovem de na época 22 anos, entrava para a história com seu álbum escrito totalmente embasado em uma relação amorosa que não deu certo, colocando toda sua mágoa e depressão em suas composições. Deu certo. Muito certo. Adele já tinha feito um sucesso mediano com seu antecessor “19” e até ganhado prêmios no Grammy Awards com ele, mas a consagração internacional veio com o “21” e com isso a quebra de inúmeros recordes. O álbum comercializou cerca de 30 milhões de cópias no mundo e atualmente detém a nota 76 no Metacritic, o que é considerada uma ótima pontuação.

O primeiro single do disco, “Rolling in the Deep”, chegou à primeira colocação de inúmeras paradas pelo mundo, sendo a primeira grande canção de Adele a conseguir o feito. O clipe da música já conta com mais de 850 milhões de visualizações no YouTube. Os dois seguintes singles também foram um grande sucesso. “Someone Like You” e “Set Fire to The Rain” conseguiram o topo da Billboard Hot 100, parada musical mais importante dos EUA, além de darem a Adele o status de nova grande voz da música contemporânea.

O “21” contou com mais dois singles. “Rumour Has It” conseguiu um top 20 na Hot 100, enquanto “Turning Tables” não conseguiu o mesmo sucesso das músicas de trabalho anteriores, conseguindo um pico de 63º na parada. Outras músicas que não foram fortemente divulgadas são considerados verdadeiros hinos desperdiçados, como é o caso de “One and Only”, canção queridinha dos fãs que infelizmente não ganhou clipe.

No Grammy Awards de 2012 Adele recebeu seis indicações, levando todos os prêmios, inclusive o de gravação do ano com “Rolling in the Deep” e o de álbum do ano com o próprio “21”, o que fez da britânica uma das poucas artistas no mundo a agradar tão grandiosa e esplendorosamente a crítica e o público ao mesmo tempo.

>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<