#CHORABOICOTE: Bruno Maury, artista LGBTQ+ que tem o artístico influenciado pela velha-guarda da música nacional

Desde que chegou ao conhecimento da nossa equipe que artistas LGBTQs+ estão sendo boicotados por apenas serem LGBTQs+, o PFBR lançou o movimento #ChoraBoicote, que visa divulgar artistas do cenário, que muita das vezes não podem investir altos valores em divulgações de seus projetos e acabam sendo ignorados por outros grandes portais de música e/ou TVs e rádios.

A década de 80/90 no Brasil foram marcadas por três ilustres palavras. Sexo, drogas e Rock N Roll e com o surgimento da primeira edição do Rock In Rio em 1985, se instalou uma explosão de cultura musical em nosso país e foi por artistas como Cazuza e Elza Soares que o carioca Bruno Maury foi inspirado a mostrar seu lado artista.

Desde muito novo, Bruno nunca escondeu o fato de ser gay mas o bullying desde o período escolar, pressão social, o rapaz foi diagnosticado muito cedo com problema de ansiedade, mas Maury tenta abordar o caso abertamente para que seja algo que possa ser abordado de forma mais natural, algo que precisa ser conversado.

Completamente produzido por Bruno durante três longos anos, “Monumental” é o primeiro álbum de estúdio oficial do rapaz. O disco foi oficialmente lançado no último dia (15).