Carreira internacional: Anitta vai representar o Brasil lá fora e isso é tudo que você precisa saber

Agora tudo parece transparente como água.

Se há alguns anos atrás alguém falasse disso, com certeza seria grande motivo de chacota. Afinal, Anitta era só a garota que cantava Show Das Poderosas e que, dentro de alguns meses, iria sumir mesmo.

Anitta em “Show das Poderosas”

O destino fez parecer que ela aceitou o desafio de não ser só mais uma e, de nível em nível, a carioca vestiu seus melhores looks e mostrou seu talento na batalha. Claramente, não foi fácil chegar até aqui, mas curiosamente, as peças foram se encaixando e tudo foi incrivelmente se moldando ao favor de Anitta.

Os que se levantaram contra a moça já estavam no chão e Anitta só precisava dar o golpe de misericórdia.

Bang, Bang, dei meu tiro certo em você…

Não veio o que a gente esperava, veio tudo maior, melhor e em um novo conceito: de cara o mais artístico de seus últimos dois álbuns, o jogo era sério e perder não era uma opção. Larissa mostrou para o que veio em Deixa Ele Sofrer, nos fez ter uma medida certa de prazer em Bang e “bateu o pé”, firmando a ideia de que aqui era de fato o lugar dela com Essa Mina É Louca. A guerra estava declarada.

A artista brilhou de uma forma tão intensa que se tornou a representante brasileira no European Music Awards e, é claro, chamou a atenção de quem realmente devia. Bang se tornou a primara faixa da brasileira a ter um movimento principalmente entre os americanos, que mesmo com uma parcela de preconceito, aceitaram a diva do Brasil com um tom de “Eu não sei quem é, mas com certeza eu quero ver mais“.

O jogo virou mais uma vez quando Anitta foi jogar ao lado de um dos cantores mais famosos da America Latina e originalmente colombiano, J Balvin. Ginza rapidamente se tornou sucesso na Colômbia, Itália, México, Espanha e em outras quatro paradas de sucesso dos Estados Unidos. Naquele momento, a gente só queria saber de colocar a Anitta em um pedestal bem mais alto.

Mesmo sendo professora de inglês, sempre nos perguntamos por quê a carioca nunca tentou se jogar no grande mercado americano, mas de um tempo pra cá, isso vem se tornando uma realidade tão paralela quanto a nossa. Em diversas viagens para os Estados Unidos, a musicista conversou com produtores de peso, tipo os que já produziram Katy Perry, Britney Spears e outras grandes estrelas do cenário pop e R&B.

Até em uma viagem para simplesmente festejar seu aniversário, Anitta mostrou aos fãs americanos de Rihanna com que tipo de fogo ela brinca. A jovem foi assistir à ANTi World Tour no Brooklyn, Estados Unidos e roubou mais olhares ao seu favor.

O primeiro capitulo do grande Showtime

Talvez você já esteja cansado de tanta ladainha e  pensando que essa carreira internacional vai demorar mais a sair que o sexto álbum de estúdio da Beyoncé, então, agora, a gente vai começar a despejar tudo bem na sua cara e você vai esperar esse comeback o tanto que você espera o álbum da toda poderosa Mrs. Carter. Tá duvidando?

Em entrevista à revista Veja, Anitta falou pela primeira vez sobre seus projetos de maior alcance. A musicista informou que a versão completamente em inglês de Bang já está finalizada e gravada e o lançamento internacional previsto para o verão europeu, ou seja, ente junho e agosto. Anitta revelou também que já tem oito faixas para o álbum americano e outras 12 para um projeto em espanhol e além disso, especula-se também que a performer deverá ser apoiada por rappers, que atualmente representam grande parcela do mercado fonográfico americano.

A gente não sabe o que vai acontecer de agora em diante mas, de fato, podemos sim, (in)felizmente, ter de compartilhar uma das maiores revelações do Brasil, mas quando o sucesso chama, nós mesmos fazemos a questão de entregar o nosso estandarte de ouro em boas mãos. Tudo que sabemos é que vai acontecer e isso já é prazeroso e suficiente para acreditar que Anitta vai balançar o mundo em nome do Brasil.

A garota da furacão 2000 saiu de Show das Poderosas. E você? Engoliu suas palavras?