Azealia Banks volta a criticar brasileiros pela falta de exportação de artistas pretas para o mundo

Depois de uma série de ataques no Twitter envolvendo Anitta e Pabllo Vittar, Azealia Banks voltou a criticar os brasileiros, mas desta vez pela falta de representatividade preta no mundo da música.

Depois de chamar “Me Gusta”, novo single de Anitta com Cardi B e Myke Towers de “lixo” e dizer que Pabllo Vittar era uma versão “fraca” de Adam Lambert, Azealia decidiu dizer alguns fatos para os internautas brasileiros em relação a exportação de artistas negras para o cenário mundial e a falta de representatividade e visão sob elas.

Em um tweet, banks argumentou que a classe de artistas brancos no Brasil não é tão luxuosa quanto a do resto do mundo e isso e por isso precisam mudar o aspecto das artistas que escolhem.

“Me sinto mal que os sentimentos dos brasileiros estejam tão magoados, mas eu disse está dito. Vocês defendem suas estrelas brancas e ofuscam as talentosas estrelas negras e é por isso que vocês falham. A classe branca brasileira não é tão luxuosa quanto os brancos do resto do mundo, vocês precisam mudar a marca”

A mensagem de Banks se refere a dar mais atenção para artistas negras, já que artistas brancas não estão elevando o mercado fonográfico ao Brasil perante ao resto do mundo. Em outra mensagem, a interprete de “Yung Rapunxel” desmereceu o sucesso de Anitta e citou Ludmilla como grande nome destaque do Brasil.

“Me Gusta” é uma porra de lixo como qualquer outra tentativa de música pop americana que vem do Brasil. Por favor, reconheçam a Ludmilla como a rainha e mantenha a estética degradada da Anitta e a plástica que ela fez no nariz estilo Latoya Jackson na favela a que ela pertence. LUDMILLA É A ÚNICA.”

“Ninguém quer Anitta ou Pabllo. Nós queremos apenas a LUDMILLA.”

Apesar dos apontamentos de Azealia Banks as vezes serem bastante polêmicos, a rapper desta vez tocou em um assunto bem crucial se tratando de artistas negros no Brasil. Em estatística de comparação básica, atualmente somente duas mulheres pretas detém ao menos um videoclipe próprio com mais de 100 milhões de visualizações no YouTube, sendo elas Ludmilla e Iza, mesmo tendo diversas mulheres negras no mesmo cenário, tais como MC Rebecca, Karol Conká, Tássia Reis, ABRONCA, entre outas.