Após polêmica, presidente do Grammy se desculpa em carta aberta pelos comentários sobre mulheres na premiação: "eu entendi o eco da má escolha de minhas palavras"

A polêmica da semana, através do Grammy Awards, não se deu apenas pelo fato de a maioria absoluta dos vencedores terem sido homens – e apenas uma mulher, Alessia Cara, no show – mas também pelo comentário sobre a situação dada pelo presidente da Academia, Neil Portnow, em entrevista a Variety logo após o evento.

Relembre:

http://5jc.0a9.myftpupload.com/se-as-mulheres-querem-aparecer-elas-precisam-se-esforcar-mais-diz-presidente-do-grammys-sobre-falta-de-artistas-femininas-em-vitoria-nas-categorias-principais/

Para Neil, as mulheres deveriam “se esforçar mais” para conseguirem patamares semelhantes aos dos homens nessa 60º edição da maior premiação da música, o que pegou muito mal na internet e fez com que artistas como P!nk se manifestassem publicamente em repúdio a opinião dele, recebendo grande apoio de fãs e feministas.

http://5jc.0a9.myftpupload.com/sza-perde-em-todas-as-cinco-categorias-que-estava-concorrendo-no-grammy/

Nesta última quinta-feira (1), através da página oficial do Grammys, ele escreveu uma carta aberta se desculpando pela “má escolha das palavras”, e ainda, afirmando que “o víeis de gênero é algo que precisa ser mais abordado e discutido na indústria” e isso seria prioridade da academia nas próximas edições.

To The Music Community—After hearing from many friends and colleagues, I understand the hurt that my poor choice of…

Publicado por Recording Academy / GRAMMYs em Quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

“Para a comunidade da música.

Depois de ouvir muitos amigos e colegas, eu entendo a dor que minha má escolha das palavras resultou após a transmissão do GRAMMY no último domingo. Eu também percebo que é mais do que as minhas palavras. Porque essas mesmas palavras, embora não reflitam minhas crenças, fizeram um eco na experiência real de muitas mulheres. Eu gostaria de ajudá-las e fazer isso da maneira certa. A Academia está estabelecendo uma força-tarefa independente para analisar e identificar os aspectos que poderiam nos fazer superar barreiras e preconceitos que impeçam o avanço feminino na comunidade musical. Nós também colocaremos em análise ‘sob um microscópio’, para que as verdades seja reveladas.

Agradeço que a questão do viés de gênero precise ser abordada em nossa indústria, compartilhando a urgência de atacar o problema de frente. Nós, como organização, e eu, como líder, nos comprometemos em fazer isso. Vamos compartilhar mais informações sobre as etapas que estamos tomando nas próximas semanas.

Atenciosamente, Neil Portnow, presente e CEO da Academia Fonográfica.”

http://5jc.0a9.myftpupload.com/azealia-banks-acredita-que-lorde-realmente-nao-mereceu-vencer-o-album-do-ano-no-grammys/