Após acusações de apropriação cultural, Miley Cyrus se desculpa por declarações polêmicas do passado

Ao longo da carreira, Miley Cyrus passou por diversas transformações que transpareceram em sua música. Entre a época em que sua imagem estava amplamente ligada à Disney e o período atual, marcado pelo EP “SHE IS COMING“, a cantora já passou pelas eras “Bangerz” e “Younger Now“, bem diferentes uma da outra.

Com essa constante evolução, vieram também mudanças no posicionamento de Cyrus com relação a temas discutidos por ela no passado. Como já era de se esperar, ao conhecerem o novo discurso da cantora, algumas pessoas não ficaram satisfeitas. No entanto, a polêmica ganhou proporções maiores do que o esperado e se transformaram em acusações de apropriação cultural.

Confira os debutes de Katy Perry, Miley Cyrus e Cardi B na Hot 100

Durante a era “Bangerz“, Miley renovou sua imagem e abordou, de forma ampla, temas como sexo, drogas e dinheiro, característicos do hip-hop. Nas letras de suas músicas, em performances e entrevistas, tais tópicos apareceram por várias vezes e passaram a integrar a “nova identidade” da cantora.

No entanto, em 2017, com a fase que envolveu o álbum “Younger Now“, a intérprete de “Mother’s Daughter” parecia estar se distanciando dos temas enaltecidos no passado.

Na época, em uma entrevista para a Billboard, a cantora elogiou a canção “Humble“, de Kendrick Lamar, ao afirmar que já não conseguia ouvir letras como “Venha sentar no meu p*u, chupe meu p*u”. “Foi isso que me afastou do cenário hip-hop. Era muito ‘Lamborghini, comprei meu Rolex, tenho uma garota no meu p*u’ e eu não sou assim”.

Por se tratar de opiniões bastante opostas sobre um mesmo assunto, fãs do gênero musical responderam com diversas críticas ao comportamento de Cyrus, afirmando que ela teria se apropriado de características marcantes do hip-hop somente para aumentar seus lucros.

A polêmica que parecia ter sido deixada no passado ressurgiu ontem (12), com a tão esperada posição de Miley sobre o episódio. Em um vídeo intitulado “Miley Cyrus Is My Problematic Fav…Sorry” (“Miley Cyrus é minha cantora problemática favorita“, em tradução livre), publicado no canal As Told By Kenya, a intérprete decidiu comentar o assunto e se desculpar pela sua atitude no passado.

“Acabei de assistir ao vídeo. Obrigada por me oferecer esta oportunidade para falar sobre isso. Não costumo, de forma alguma, manter-me calada. Tenho consciência da minha plataforma e sempre tenho feito uso dela da melhor forma possível e para esclarecer injustiças. Quero começar pedindo desculpas. Devo reconhecer que ‘foi isso que me afastou do cenário hip-hop’ é uma declaração insensível, já que se trata de um privilégio meu ter a possibilidade de entrar e sair desse ‘cenário’. Existem décadas de desigualdade das quais estou ciente, mas ainda preciso aprender muito. O silêncio é uma parcela do problema e eu me recuso a fazer parte disso. Minhas palavras se tornaram divisoras em um momento em que união é crucial. Não posso mudar o que já foi dito, mas posso afirmar que lamento muito a separação causada pelas minhas palavras. De forma simples: ‘Eu estraguei tudo e peço desculpas’. Estou empenhada em utilizar minha voz para curar, mudar e lutar pelo que é certo”.

A declaração de Cyrus ressalta gestos que a cantora já está colocando em prática. Somente nas últimas semanas, Miley utilizou suas redes sociais para discutir dois temas de extrema importância: leis anti-aborto, ao integrar a divulgação de uma campanha pró-aborto, e autoaceitação, ao promover um espaço para que seus fãs pudessem se reconectar com quem eram no passado.

Apresentador homem, branco, cis e hétero critica Miley Cyrus por campanha pró-aborto