"ANTI é o álbum que você faz quando não precisa vender", diz The New York Times

As críticas do novo disco de Rihanna através da imprensa especializada estão sendo mistas. Por hora, o álbum continua com nova verde no Metacritic, com pontuação 72.

O renomado jornal The New York Times publicou uma resenha para o disco ainda ontem (8) rendendo elogios ao trabalho da cantora. A jornalista responsável pelo texto, Jenna Wortham, foi clara em afirmar que o CD foi feito para se vender, mas apreciado através dos serviços de streaming da modernidade.

Jenna também afirmou que ANTi agora é seu álbum predileto de Rihanna, por mostrá-la realmente como artista, em um projeto dito como “ousado”:

“Depois de muitas décadas trabalhando como uma máquina de hits, parece que agora estamos vendo verdadeiramente uma Rihanna artista. Há um sentimento palpável de libertação no álbum, o luxo distinto de uma cantora que está livre de todas as maneiras, artisticamente, tematicamente e financeiramente. Este é um tipo raro de liberdade, e parece vir de um lugar inesperado: Rihanna fez um álbum que não precisa vender muito, nem para ela, nem para a gravadora”, aponta um trecho do artigo.

Mesmo sendo disponibilizado de graça nas primeiras 14 horas, ANTi debutou na parada mais importante dos Estados Unidos oficialmente esta semana na primeira posição, com 166 mil cópias vendidas.

>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<