Anitta detona governo por recusa de vacinas contra COVID-19 e relembra falecimento de Paulo Gustavo

Assim como milhares de brasileiros, Anitta está completamente transtornada com a situação que o Brasil se encontra com a questão de vacinação, enquanto países como Estados Unidos e Israel estão completamente avançados na imunização do público.

Uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investigou a atuação do governo nas tentativas de impedir o avanço da COVID-19 constatou e trouxe a tona de que o governo recusou dezenas de ofertas de fabricantes de vacinas contra o coronavirus, sendo a principal delas a Pfizer, que ofereceu com antecedência 70 milhões de doses ao Brasil em 14 de agosto do ano passado. Entretanto a oferta foi completamente ignorada pelo governo Bolsonaro, que não emitiu resposta.

>>>Anitta fala sobre mortes em operação policial no Jacarezinho: “a polícia brasileira desafia a justiça máxima”

A segunda e terceira ofertas de 70 milhões de doses foram feitas em 18 e 26 de agosto, e também não foram aceitas pelo governo, segundo Carlos Murillo  gerente-geral da farmacêutica Pfizer na América Latina.

Anitta repudiou o ato veemente e comentou sobre o fato de milhares de vidas que poderiam ter sido salvas caso as 70 milhões de doses já estivessem disponíveis, além de ter relembrado a morte de seu amigo, o humorista Paulo Gustavo.

>>> Após apresentação no Today Show com “Girl From Rio”, Anitta registra aumento de pesquisas nos Estados Unidos

Anitta, que está nos Estados Unidos, já foi vacinada no país norte-americano e comentou durante sua coletiva do single “Girl From Rio” sobre o momento. “É bom, mas é ruim ao mesmo tempo. Dá uma tristeza de ver como está o Brasil. Infelizmente nosso presidente fez escolhas muito ruins”.

>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<