Academia instaura novo regulamento de diversidade para indicados ao Oscar; confira os detalhes

A Academia de Artes e Ciências Cinematográfica anunciou os novos requisitos para concorrer ao Oscar de Melhor Filme. Essas mudanças visam aumentar a representatividade dentro e fora das telas.

O novo regulamento foi divido em quatro pilares principais, sendo necessário o comprimento de pelo dois para que a produção possa concorrer como Melhor Filme. A principio, as novas regras já valerão para a premiação de 2022, mas só será obrigatório em 2024.

O primeiro pilar é sobre representatividade de temas e narrativas na tela. O filme precisa ter em papéis de protagonistas, coadjuvantes ou 30% do elenco membros de minorias, como negros ou latinos, ou uma narrativa principal focada nesses grupos.

O segundo pilar é sobre a liderança criativa e a equipe do projeto. Será necessário um número determinado de membros de grupos pouco representados em cargos de liderança ou em 30% da equipe em geral.

O terceiro pilar é sobre acesso à industria e criação de oportunidades. A produção precisará oferecer cargos pagos de estágio ou de aprendizado para membros de grupos menos representados nos estúdios, distribuidoras e produtoras. Além disso, também será preciso disponibilizar vagas de oportunidade de desenvolvimento de habilidades e treinamento para os membros deste grupo em cargos menores na equipe de produção.

Por fim, o quarto e último pilar é sobre o desenvolvimento com o público. A produção precisa ser preenchida nos cargos de liderança nos estúdios ou nas produtoras nas equipes de marketing, distribuição e publicidade por membros de minorias ou grupos pouco representados.

Você pode conferir o anúncio abaixo: